Sill Life • A depiction of digital space

immaterial • artificial • machine • infinite

Aquando a criação do MAC OS em 1984, foi introduzida a ideia de uma interface gráfica do utilizador que se assemelha à secretária de trabalho, e o que antes era um mundo abstrato de dígitos incompreensíveis e imensuráveis, começa a formar-se no, e a partir do mundo real. Desde este momento, na nossa sociedade ditada pela tecnologia, tem havido um esforço crescente de humanizar ambientes digitais, desde a interface com que se interage, até à relação humana que se cria entre pessoas e dispositivos. Dá-se também uma apropriação intrusiva e inconspícua de uma estética digital, criada nos seus dispositivos nativos, e inexistente no mundo físico, que intervém diariamente no quotidiano; estética esta regularmente aceite como parte normal do mundo real.

Still Life é um ambiente digital imersivo que pretende questionar os limites difusos entre o mundo digital e o mundo físico. Este projeto explora a espacialidade do ciberespaço, as suas nuances e as suas contingências, ao explorar os conceitos díspares nos quais o mundo digital está ancorado, como material/imaterial ou orgânico/artificial e com recurso à representação metafórica dos géneros clássicos das artes visuais. Neste objeto o utilizador assume um papel puramente exploratório e de análise perante um lugar perdido algures no ciberespaço com vista a uma experiência surreal e aparentemente inerte que tenta analisar a nossa própria interação com o espaço digital.

Manuel Silva